Gucci apresenta “Guilty”: um perfume com ou sem culpa?

presenta “Guilty”

O quinto perfume da casa italiana Gucci assume-se como culpado logo à partida – chama-se “Guilty” e só pode ter a culpa de ser uma fragrância sensual e inebriante. Criado para a mulher do século XXI: jovem, corajosa, inteligente, sexy e ligeiramente perigosa, a diretora criativa da Gucci, Frida Giannini, diz que este perfume é para as mulheres que não gostam de ficar à espera que as coisas aconteçam.

De inspiração floral e oriental, o perfume “Guilty” tem na sua composição notas de pêssego, mandarina, pimenta cor-de-rosa, âmbar, pachuli, lilás e gerânio. Objeto de desejo é também o próprio frasco do perfume, cujos dois G dourados entrelaçados se assemelham à fivela de um cinto ou ao fecho de uma carteira. É a primeira vez que o logótipo inconfundível da Gucci é usado desta forma numa fragrância e a verdade é que mesmo depois do perfume ter acabado, este é um frasco que vai querer guardar.

O perfume “Guilty” – que tem a atriz Evan Rachel Wood como embaixadora – demorou dois anos a ficar pronto e agora merece ser usado e abusado, sem sentimentos de culpa…

Licença: